A avaliação é uma etapa crítica no processo de inovação curricular com vistas ao desenvolvimento de competências. A cultura que impera fez das provas de reprodução de conteúdos, realizadas pontualmente, o instrumento sobre o qual é colocado todo o peso do processo avaliativo. A avaliação tem como suas principais finalidades a formação, a promoção e a certificação dos alunos, assim como a melhoria do processo do ensino e da aprendizagem. É estruturada com base nos objetivos de aprendizagem a serem atingidos no processo formativo e nas competências que os alunos devem desenvolver.

Em função do sujeito que realiza a avaliação ela ocorre em três modalidades, heteroavaliação, coavaliação e autoavaliação e, de acordo com o momento em que se realiza, é classificada em inicial, processual e final. A avaliação de competências utiliza critérios e matriz de avaliação como padrões de desempenho a serem utilizados na comparação com os resultados de aprendizagem demonstrados pelos alunos e é realizada por meio de técnicas e instrumentos de avaliação. O modelo de avaliação de competências proposto pressupõe diversas etapas, sendo que entre estas, as mais críticas consistem na elaboração dos critérios, na escolha das técnicas e instrumentos mais apropriados para identificarem as evidências de desempenho e na escolha do conjunto de tarefas desenhadas com este fim.