Quando recordarmos os pilares do desenho curricular para desenvolver competências, sistematicidade e integração, fica claro que a execução de um currículo de forma sistemática e integrada, pressupõe, também, um planejamento sistemático e integrado. Correlacionando o currículo em termos de competências necessárias a serem construídas nos estudantes à cada estratégia e conteúdo abordado nos momentos de aprendizagem. Para tanto, o planejamento deve ocorrer nos seguintes níveis: Intradisciplinar – para promover a aprendizagem ativa no âmbito de cada componente curricular; Interdisciplinar – para promover a integração efetiva entre componentes curriculares. Transdisciplinar – para promover o crescimento humano, social, empreendedor, dentre outras competências de âmbito global na sua formação pessoal e profissional.

Como a forma mais primária de se desenvolver as competências, a interdisciplinaridade ecoa dentro do planejamento dos momentos de aprendizagem como norteadora do processo de ensino-aprendizagem.  O encontro entre professores orientados a integralizar conhecimento em prol de um mesmo fim (Figura ao lado ©Freepik), (objetivo de aprendizagem), promove o estabelecimento de uma lógica que estreita e internaliza, tanto no professor quanto no estudante, o porquê da prática pedagógica, a qual levará os estudantes inseridos neste modelo a uma aprendizagem significativa e desenvolvedora.